800 Balas

13 05 2011

Antes de começar qualquer coisa, devo confessar algo: nunca havia visto nenhum filme do Álex De La Iglesia; e a partir de agora vou procurá-los desesperadamente! Pude assistir ao 800 Balas, de 2002. Em primeiro lugar, é mais do que óbvio que o espanhol realizou uma das maiores e mais tocantes declarações de amor ao western (spaghetti ou americano) sem cair em obviedades; com uma bela pitada de humor, um par de cenas politicamente incorretas e uma história digna de qualquer grande clássico do gênero, o basco dá uma aula de bom cinema.

Não vou ficar entrando em muitos detalhes da trama: basicamente temos atores que vivem do sucesso de um passado longínquo – a era dos western (com ênfase nos spaghetti, pois o filme se passa numa cidade cenográfica de Almería). Numa história que envolve um dublê veterano, alcoólatra e “putanheiro” (!!!!) e um neto obstinado a conhecê-lo, Álex De La Iglesia e Jorge Guerricaechevarría conseguem criar uma história sem clichês e repleta de referências e homenagens. Mas, na minha opinião, a principal homenagem ao gênero reside no argumento original: o veterano decadente Julián [Sancho Gracia], que lidera a trupe de artistas malsucedidos num maltrapilho espetáculo de bangue-bangue em Almería. Graças a intrigas pessoais, o dono do local vende o terreno e, munidos de 800 balas, estes atores defenderão com suas vidas sua cidade, o lugar que os aceitou.

800 Balas tem uma carga emocional muito grande em algumas frentes: há uma busca por redenção por parte de Julián; há a união dos atores, relegados ao esquecimento e ao ridículo; a perspicácia e perseverança do neto de Julián e outros núcleos dramáticos. Além disso, o elenco é muito bem escolhido, e há boas doses de humor negro/politicamente incorreto e nudez – uma delas bem polêmica, mas hilária. E há ainda os pequenos detalhes, como o fato de Sancho ter atuado em muitos western spaghetti, e, como bem lembra nosso amigo César Almeida em seu ótimo texto para o Dia da Fúria, quando seu personagem diz que transou com Raquel Welch em 100 Rifles, de 1968 (O ator realmente atuou no filme com Raquel Welch!). E há também a especulação da relação entre o dinheiro madrilenho no filme, que serve para “comprar e destruir” o que resta aos personagens, e as origens bascas de La Iglesia. Com tudo isso, não tem como não apreciar este filmaço do Álex.

“800 Balas” – Muito Bom

Anúncios

Acções

Information

2 responses

14 05 2011
Pedro Pereira

É filmaço sim senhor. Adorei-o e foi um estimulo para ter ido passar uns dias a Almeria no ano passado.

14 05 2011
hqsubversiva

Inveja sua, que mora “ao lado” da Almería! Já nós, meros brasileiros, moramos tão longe deste templo… =S

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: