Liga da Justiça Reloaded

27 06 2011

O Omelete divulgou a nova formação da Liga da Justiça, sob a batuta de Geoff Johns e Jim Lee: Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde (Hal Jordan), Flash (Barry Allen, supomos), Aquaman e Ciborgue. Da equipe “clássica”, foram removidos o Caçador de Marte e a dupla Gavião Arqueiro-Mulher Gavião. Não vejo problemas em mudanças de equipes e outras alterações do gênero, mas mantenho minha posição sobre este marganhafo todo que o UDC vai se transformar: ainda acredito que não é necessário fazer um reboot em toda a continuidade construída desde 1986. Esta manobra me lembra o tempo em que brincávamos de futebol na rua e, quando o dono da bola se cansava, ele acabava com a brincadeira e mudava as regras, só pra tentar se destacar (já que estava mal no jogo). Há bons escritores e boas ideias na DC Comics, e não é recomeçando numerações e cronologias a partir do zero que teremos muitos leitores iniciantes, ou histórias interessantes…





Paul Thomas Anderson

26 06 2011

Anderson completa hoje exatos 41 anos. Relativamente jovem, já tem tantos ótimos filmes em seu currículo… o que nos faz desejar ainda mais saúde e muito trabalho!

Boogie Nights: Prazer Sem Limites – 1997

Sangue Negro – 2007

Embriagado de Amor – 2002

Magnólia – 1999





Valhalla Rising

25 06 2011

Com as críticas mais do que promissoras de Drive, que ainda será lançado, decidi finalmente assistir aos filmes que havia baixado do dinamarquês Nicolas Winding Refn. Vi seus dois filmes anteriores a Drive, Bronson e Valhalla Rising, (ambos) de 2009. Ainda voltaremos a Bronson, porque é impossível não falar antes de VR. O filme é uma obra-prima, entrou de sopetão no meu top 5 da década passada, e é facilmente o melhor filme que vi neste ano. Refn nos proporciona uma experiência ímpar, que dificilmente pode ser definida com palavras.

A trama de VR se passa por volta do ano 1000 D.C.: o guerreiro One-Eye [Mads Mikkelsen, com uma presença de tela impressionante], que escapa – leiam “massacre que deixa apenas o garotinho Are [Maarten Stevenson] vivo” – de seu cativeiro bárbaro e, seguido pelo menino, se junta a um grupo de guerreiros cristãos em busca da Terra Prometida, onde defenderiam os princípios de Cristo e Jerusalém.

A sinopse acima empobrece o que VR realmente representa. A violência é o fio-condutor da obra, conduzida num ritmo quase que voyeurístico e contemplativo por Refn. A presença de One-Eye se assemelha a alguma espécie de força incontrolável, cujos atos falam por si só. Sem uma linha sequer por todo o filme, o personagem é, como Are define em certa cena, “alguém que subiu do Inferno”. E é interessante perceber que, por meio de longas sequências em silêncio, com lindas ou horrendas paisagens de fundo, a força do personagem suscita uma tensão quase que palpável no espectador.

Segundo o IMDB, há aproximadamente 120 linhas de diálogo durante todos os 89min de projeção. Durante boa parte do filme, os personagens observam seus arredores, sobem/descem colinas e/ou matam e morrem. E assim Refn realiza um filme experimental intenso, brutal e indefinível. O dinamarquês nos mostra um mundo tão duro, selvagem e sanguinolento quanto o próprio inferno. O próprio cineasta afirma que concebeu o filme como uma espécie de “viagem de ácido”. Muito mais coeso e poderoso que um mero efeito colateral alucinógeno, Valhalla Rising é uma obra-prima.

Valhalla Rising” – Excelente





Apollo 18 – trailer 2

25 06 2011




Gene Colan

24 06 2011

Mais um clássico ilustrador que nos deixa… aproveitando o gancho: a capa abaixo, desenhada por Colan, foi uma das que mais me encorajou a gostar de quadrinhos; sempre achei o design do uniforme deste Homem de Ferro sessentista sensacional, arrojado e estiloso. Rest in peace, Gene.

Iron Man #1

 Gene Colan: 1927-2011





Marvelman

24 06 2011





Saint Seiya Sanctuary Battle

24 06 2011

Lá vem mais um jogo dos Cavaleiros do Zodíaco. Ainda estou pra ver um game que faça jus à qualidade da série criada e desenvolvida com maestria pelo Masami Kurumada…








%d bloggers like this: