A Natureza te fez Provocante

8 09 2011

Droga, ainda são 11h50, tenho mais quarenta minutos de aula, e esta classe idiota não presta um pingo de atenção no que eu to falando. Ok, admito que pra maioria das pessoas lembrar da família 6A completa não é das coisas mais interessantes, mas, droga, não é tão difícil assim. Não custa nada ficar olhando pra lousa ou pra mim, me sinto uma estúpida falando e falando e escrevendo aqui pra ninguém. Enquanto começo a escrever a sequência O-S-Se-Te-Po-Uuh percebo que tem pelo menos uma pessoa me fitando. Eles começam a copiar e eu vou falando aqueles macetes pra não esquecer dos elementos, mas aquela menina tá me olhando com a alma. Tenho que me concentrar, não consigo. Ela não tá nem um pouco interessada no que eu to dizendo, fato. Renata é seu nome. É daquelas não-tão-esforçadas-mas-simpáticas-o-suficiente-pra-ficar-quieta-na-hora-da-teoria, vezenquando me pergunta alguma coisa no final da aula. Deve ter o quê, seus 16 anos? Está amadurecendo, vai se tornar uma mulher linda, ao seu próprio modo. Olhos verdes, nariz um pouco arrebitado, cabelos negros e cacheados, pele quase cor de jambo. Usa óculos, mas não me parece daqueles fundo de garrafa, deve ser apenas para leitura; quando sai com suas amigas deve ficar muito bonita, tem um corpo perfeito praqueles vestidos floridos. Já se passaram uns dez minutos e ela continua me fitando. Parece que me olha com a alma, de um jeito malicioso. Ela brinca com sua caneta, provocante. Passo uns exercícios pra classe, sento-me e começo a ler qualquer coisa pra tentar ignorar estes olhos hipnóticos que me encaram. Sinto-me sendo despida lentamente, com carinho e um pouco de luxúria.

Renata se levanta, e vem com uma folha cheia de anotações e dúvidas e segundas intenções. Não sou estúpida, sei que é mera desculpa pra se aproximar de mim, sentir o cheiro do meu perfume. Finalmente toca o sino e todos vão embora, mas ela fica. “Tenho umas dúvidas quanto àqueles exercícios da semana passada, ‘fessora, não entendi bem”, “sem problemas, Renata, pega uma cadeira e senta ao meu lado que eu vejo como posso te ajudar”. Ela se senta, eu começo a explicar, mas ela não para de me olhar. Tira meus óculos levemente embaçados pela tensão que eu transpirava, e começa a alisar meu cabelo. Fico ouriçada, tenho medo que alguém entre. “Fica assim não, professora, sei que você também olha pra mim por cima dos óculos, eu percebo”. Não emito som algum, fico excitada e temerosa na mesma intensidade. Ela tem mãos macias e sua pele é lisa. Sua boca é suave, sua língua é irrequieta. “Vou te ensinar então, menina”.

A puxo junto a meu rosto, beijo-lhe com um pouco de força e tesão. Sei que estou ficando molhada, ela também. A qualquer momento pode entrar algum esquecidinho que deixou seu caderno em branco na cadeira, mas isso pouco me importa. Acaricio seus seios, firmes e comedidos, desabotôo sua camisa, começo a beijar seu pescoço. Sua respiração está ficando mais agitada, ela está ficando quente. Como boa adolescente que é, não tem calma e quer ir direto ao ponto: enfia sua mão esquerda por baixo de minha saia, procura o meu sexo. “Calma, daqui a pouco você vai poder me experimentar”. Deito-a no chão e abro o zíper de sua calça, ela está fervendo. Transpira tesão e treme um pouco enquanto meu beijo se aproxima de sua virilha. Geme controladamente, sabe o perigo que estamos correndo. Quando aproximo minha língua e começo a chupá-la, parece que haverá uma erupção. Acho que nenhum menino sortudo teve a oportunidade de adentrar neste terreno: sorte a minha. Vou te ensinar, menina. Me contorço de prazer enquanto a sinto arfando, também estou ficando maluca. Não tenho naquela sala o que preciso para me satisfazer plenamente, mas meu toque cumpre seu papel. Degusto-a com voracidade, enquanto ela me puxa os cabelos. Gozamos juntas, cada uma a seu modo. Ela se vestiu, foi embora. Acendi um cigarro ali mesmo, estafada e com muitas provas para corrigir. Renata tinha tirado módicos 7,5. Aquela nota não lhe fazia jus.


Ações

Information

2 responses

8 09 2011
carol

safadas.

8 09 2011
Natiii

Educar esse Braséééééél não tá fácil pra ninguém! hahahahahaha
muito bom o texto!!!! =D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: