To the Wonder – trailer

9 03 2013

Creio que nos foi concedida a dádiva de ver filmes novos de Terrence Malick, conforme os anos passam. Filmes inéditos, no cinema. A meu ver, não devemos nunca perder essas chances. Aguardando ansiosamente, desde muito tempo, e, depois desse trailer, ainda mais.





007 Skyfall (2012)

5 02 2013

Decidi tentar rascunhar algumas palavras sobre 007 – Skyfall, de 2012, apenas após uma revisão. O filme, dirigido por Sam Mendes, é, sem dúvidas, o melhor da franquia nesta “era Daniel Craig”, e, pelo menos pra mim, o melhor de toda a série. E a chave de compreensão para que o filme seja tão incrível é a temporalidade: Skyfall flerta com o aniversário de 50 anos da série por meio de um revisionismo de boa parte dos pilares centrais das aventuras de James Bond. Desde a construção do vilão Silva [Javier Bardem está poderoso], passando pelas reviravoltas e ganchos dramáticos da trama – morte e ressurreição, o questionamento sobre a eficácia da espionagem “antiquada” contra inimigos “modernos”, etc. -, Skyfall está claramente relendo toda a mitologia de Bond, atualizando-a, sendo ousado em seus rumos narrativos. No filme você encontra tudo o que se espera, historicamente, de uma obra da franquia: sequências de ação ao longo do globo, femme fatales, personagens icônicos, um grande vilão insano e excêntrico; entretanto, todas as marcas típicas da série são diferentes, quase que modernizadas: desde o novo Q [Ben Whishaw, também muito bem], Mallory [Ralph Fiennes], Eve [Naomie Harris], os gadgets e principalmente a referencialidade à mitologia de Bond (o carro clássico, as piadas sobre renovação e mudança, dentre outros). Além disso, é importante ressaltar que Sam Mendes se esquiva do uso da shaky cam (a infame câmera tremida, instaurada no cinema de ação pós-Identidade Bourne), abusando da câmera focalizada e dinâmica, que se atenta às texturas, às cores, aos personagens e às ações; com isso, o ritmo grandioso do longa é perfeito para suas propostas, com 2h23min que passam voando. Ao fim, a temporalidade se instaura mais uma vez, abrindo ganchos para futuras aventuras do famoso espião,  agora mais renovado e, ao mesmo tempo, fiel às suas raízes; melhor presente de cinquenta anos eu realmente não consigo imaginar.

sky





007 – Skyfall trailer

1 08 2012

O Bardem promete.





Meet Roland Deschain

10 04 2011





Oscar 2011

25 01 2011

Novidades pós-Globo de Ouro: “Bravura Indômita” veio pra abalar, com indicações em grandes categorias como Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator [Jeff Bridges] e Melhor Atriz Coadjuvante [Hailee Stanfield] – no total são 10 indicações; Jeremy Renner conseguiu abocanhar uma indicação para Melhor Ator Coadjuvante por “Atração Perigosa”; como esperado, “A Origem” não teve fôlego para chegar forte, e Christopher Nolan não conseguiu sua indicação para Melhor Diretor; Javier Bardem foi outro que surpreendeu, e ganhou sua indicação como Melhor Ator por “Biutiful”; por fim, o líder em indicações foi “O Discurso do Rei”, com doze possíveis Oscar’s… bem, se a indicação serviu para algo, foi para coroar o Rei, e para lembrar que os Coen continuam sendo Coen.

Não subestime o fator Coen








%d bloggers like this: