Ghost Rider: Spirit of Vengeance

31 07 2011

Fiquei empolgado, depois receoso, e depois da Comic-Con estou empolgado novamente. Diga-se de passagem: ver o caveiroso todo do mal tá bem legal.

Anúncios




Drive Angry 3D

10 04 2011

Bem, finalmente conferi com meus próprios olhos a última maluquice de Nicolas Cage: Drive Angry, de 2011. É um filme que exige descompromisso: o roteiro é fraco, direção mais ainda e o 3D é mal utilizado. Mas, no geral, vale pela importância de se ver um filme cujo formato destoa completamente do cinemão americano de hoje: há personagens extremamente caricaturais, um elenco relativamente condizente com estes papéis – Nicolas Cage e William Fichtner, principalmente, além da gostosona Amber Heard -, nudez e violência. Ah! Não nos esqueçamos dos carros que, meu deus, que show! Barulhentos, lindos e, no fim das contas, todos ferrados, deixando todo mundo feliz. Ou seja: o filme é fraco, mas é uma boa diversão descompromissada, com muito barulho, alguns peitos de fora, feridas abertas e Nic Cage canastrão. Mas se fosse um diretor melhor que o Patrick Lussier, a coisa poderia ser beeem melhor…

Drive Angry” – Bom





Vício Frenético

23 03 2011

Antes de começar qualquer coisa, ainda não pude assistir ao filme original, cultuado filme de Abel Ferrara com Harvey Keitel como o Bad Liuetenant. Tendo isso bem explicado, falemos de Vício Frenético, de 2009. Werner Herzog traz ao espectador um história sensacional repleta de violência, drogas, sexo e um personagem extremamente poderoso: o tenente Terence McDonagh [Nicolas Cage, em um dos melhores papéis de sua vida].

É interessante notar que a sequência inicial já mostra a lição de moral que McDonagh levará consigo durante a obra: fazer o “certo” não te leva a lugar nenhum. O tenente, em companhia do parceiro de polícia Steve Pruit [Val Kilmer] decide salvar um prisioneiro esquecido em sua cela durante o desastre do Katrina, em Nova Orleans. O prisioneiro estava quase se afogando, e McDonagh decide pular na água e retirá-lo da cela. Terence fratura sua coluna permanentemente no pulo, e recebe uma promoção graças a seu “ato de bravura”. A partir daí, o policial passa todo o filme se dopando com remédios precritos para amenizar suas dores, misturados à uma quantidade absurda de cocaína, crack e outras drogas tão pesadas quanto. Nesta viagem insana, o tenente deve resolver o massacre de uma família de traficantes senegaleses.

Com a evolução dos acontecimentos, McDonagh deve lidar com outros problemas, como dívidas de jogo, seu relacionamento com a prostituta Frankie [Eva Mendes, musa], e as investigações da Corregedoria, que está em seu encalço. Com isso, o ritmo do filme fica dinâmico, sendo entremeado por diversas cenas chocantes, que contribuem para a construção do caráter do infame policial.

Herzog realiza um filmaço, se utilizando de todos os recursos que lhe cabem. A relação do policial aproveitador com seu ambiente – uma Nova Orleans destruída, que tenta se reerguer depois do Katrina – é bem desenvolvida, tal qual o enlouquecimento do personagem de Nicolas Cage. Munido de uma trilha sonora eficiente, Herzog ainda realiza sequências completamente surreais, com a presença de iguanas e dançarinos de rua. Além disso, o roteiro coroa o filme na parte final, sem se deixar levar por mudanças de personalidade dos personagens principais. Terence McDonagh é um cara desprezível, e assim o será.

É interessante notar que o filme se apodera de alguns pontos da obra original, e o próprio Herzog sempre deixou claro que não estava fazendo um remake. Houve até descontentamento de Abel Ferrara ao saber que seu filme de 1992 teria uma nova versão, e o diretor italiano desceu a lenha em Nicolas Cage. Bem, nesse caso ele queimou a língua: como podemos relembrar, Cage tem interpretações poderosas quando desempenha personagens malucos e intensos. Vício Frenético é um filmaço, com a dose certa de suspense, drama, ação e loucura.

“Vício Frenético” – Excelente





Ghost Rider: Spirit of Vengeance

21 03 2011

We basically said, we want to do it, [would] absolutely love to do it, but it’s gotta be 100% different from the first movie, everything, except for Nic. We want the character to look different, feel different, sound different. The backstory of the character’s different, the origin of the story is expanded upon in ways that the first movie didn’t hint at, at all. The location’s different, the whole cast is different; the only thing that’s the same is Nic…It’s pretty much a reboot, only with the same actor, which makes it: a requel. Or a seboot, I can’t decide which one I like better.





Ghost Rider: Spirits of Vengeance

28 01 2011


Nicolas Cage mais canastrão do que nunca, Neveldine e Taylor dirigindo… se isso não for tosco e legal, vou ficar decepcionado.





Mais um

23 12 2010

Poster com Nicolas Cage canastrão; isso vai ser muito divertido!





Cada um tem o que merece

29 10 2010

Cortaram o orçamento de Motoqueiro Fantasma 2… de US$135mi passou para US$75mi, e nosso falso careca Nicholas Cage deve ganhar apenas US$7mi, ao invés dos usuais US$12mi. Por mim, podiam cancelar logo esta merda…

Nem com implante as coisas melhora, pqp...








%d bloggers like this: